quarta-feira, 11 de agosto de 2010

SEXO ANAL II (A Primeira vez da Flávia)

Três semanas depois da noite desastrosa em que pedi a bundinha dela para mim e ganhei um não como resposta, decidi tentar mais uma vez.
Depois do banho tomado, deitamos na cama e estávamos assistindo algum filme qualquer, não lembro o nome e nem do que se tratava.
Começo de outono, hora de tirar edredons e cobertores dos armários. Estávamos abraçadas e cobertas por um fino edredom de começo de frentes frias.
Coloquei minha mão na coxa dela. Ela me olhou e sorriu. Seu sorriso foi o meu convite para subir nela e começar a beijá-la. Acompanhando meu tesão, ela me acariciava e me apertava, beijava minha boca com sua língua se misturando com a minha, enquanto causava arrepios na minha bucetinha. Ela nem desconfiava que eu estivesse com terceiras, quartas, quintas intenções.
Eu não tinha certeza se ela queria fazer alguma coisa, estava de calça e camiseta de manga comprida e em nenhum momento tentou tirar as roupas, ficamos nos beijando muito tempo, lentamente, para o tesão surgir mais devagar e durar mais tempo. Tomei a iniciativa: abaixando-me, tirei a calça e a calcinha dela, tudo com muito cuidado, sempre beijando e dando mordidinhas nas suas coxas e quadril.
Tirei minha bermuda e minha calcinha quase rasgando tudo, não queria que demorasse muito pra ela não “esfriar”, ou talvez eu estivesse muito afobada.
Tirei a camiseta e o top dela. Beijei seus seios enquanto acariciava com meus dedos gelados o clitóris dela.
Peguei seus seios com as duas mãos e chupei-os com muita vontade, apertando com força na medida certa, foi quando percebi que ela realmente estava muito excitada, sua bucetinha estava bem abertinha e molhada e ela gemia como de costume, alto e sedutoramente.
Sem deixar de chupar os seios, coloquei três dedos na bucetinha, senti a lubrificação dela encharcar meus dedos, o cheiro de bucetinha invadiu o quarto, não resisti e tirei os dedos da bucetinha dela, eu tive que cheirá-los, eles estavam mesmo maravilhosamente cheirosos.
Passei os dedos perto do nariz dela, queria dividir aquele prazer tão peculiar com ela, a dona do perfume.
Voltei a masturbá-la, sempre aproveitando para me esfregar em sua coxa.
Dei um beijo na boca dela de olhos abertos, nisso eu senti que era a hora de tentar, não sei explicar porque, apenas soube que tinha chegado a hora de tentar.
Tirei cuidadosamente um dedo da bucetinha dela, deixando outros dois lá. Com esse dedo acariciei o ânus dela, passava o dedo bem devagar e molhado pra cima e para baixo, depois já estava massageando como fazia no clitóris.
Comecei a colocar meu dedo dentro da bundinha, ela não fez nada para me deter, e continuei colocando, até que ela deu uma esticadela com o corpo e segurou meu braço.
Tirei a mão dela do meu braço e continuei colocando o dedo, sabia que ela estava sentindo dor, mas também sabia que depois que meu dedo atravessasse uma espécie de “curva” não iria doer mais e, se fosse bem feito, a dor seria substituída por prazer.
À medida que meu dedo entrava, ela se torcia um pouquinho, estava bem nítido que estava desconfortável, mas se eu tivesse parado naquela hora a gente nunca teria terminado.
Quando cheguei a tal “curva”, meu dedo entrou facilmente e pronto. Ele estava todo dentro da bundinha dela.
Percebi que ela não fez nada diferente e decidi continuar. Estava com dois dedos da bucetinha e um dentro da bundinha. Tirava e enfiava de novo, todos eles ao mesmo tempo, estava masturbando-a nos dois buracos que ela tem.
Continuei masturbando ela e voltei a me esfregar em sua coxa, quando ela me disse baixinho no meu ouvido com uma voz bem manhosa: ”- mais... enfia mais Clara...”
Como já estava tudo dentro, fiz com mais força enquanto ela grudava em mim e me arranhava.
Minha bucetinha estava quase em carne viva de tanta força que esfregava nela, eu iria gozar logo e pedi no ouvido dela: “- vai gozar assim? Quer gozar comigo?”
Parece que quando falei isso ela entrou em êxtase, e me disse: “-ah, então goza comigo vai, continua assim, goza comigo”.
A fala sedutora dela me enlouqueceu e gozei na mesma hora, me esfregando gostoso na coxa dela, ela também gozou e só terminou um tempo depois de mim, por isso depois que tive meu orgasmo continuei com muito sacrifício a masturbá-la.
Quando ela terminou, tirei meus três dedos com muito, mas muito cuidado de dentro dela e, para minha surpresa e dela também, eles estavam apenas muito encharcados e com um cheiro maravilhoso.
Pedi se ela tinha gozado com a bucetinha ou com a bundinha e ela me respondeu com absoluta certeza que foi com a bundinha. Senti-me mais que satisfeita, tinha dado para ela o que eu esperava, tínhamos, as duas, conseguido gozar, foi bom para mim e principalmente, foi ótimo para ela, tanto que ela gozou dando a bundinha.
Perguntei repetidas vezes se tinha sido bom, se ela voltaria a fazer anal, e se ela tinha mesmo gozado com a bundinha. Ela me confirmou tudo e desde essa primeira vez, a gente sempre pratica anal, seja nela ou em mim, e em todas às vezes gozamos muito.
Tem horas em que ela pede para mim, por favor, comer a bundinha dela.
Se sair alguma sujeirinha ou não, eu não me importo, gozar vale muito mais a pena do que sentir nojo.
Afinal, água lava tudo, só não lava a língua não é?

5 comentários:

Títi disse...

hahaha só não lava a língua foi ótimo! post ótima meninas!me divirto horrores por aqui! bjos

meninas com meninas disse...

OOOOOOOOOOOOOOO
UAU
tipo
sem comentários
heueheue
isso eh que é gostar de mulher
vcs duas devinham ter um vlog
nao estou sugerindo q seja erotico
mas eh que fico doida pra ver o rostinho desse casal rsss
=x
ops

lesBia disse...

näo falei que nessas horas ela ctz ia aceitah...
Filha,sé é gostoso,se é pra satisfaze e principalmente é com aquela pessoa que voc ama e confia...vai que vai!

AHSHAHHAHSAHSHAHSHAHSHAS


PArabens Clara!! =)

Giselle Ribeiro disse...

nháá..meninas,vcs me deixam doidinhas!rs
adoro essa pg.Parabéns.Bjão
Gih

Laura Pas disse...

Vocês só praticam anal com os dedos? Ou introduzem outras coisa?