terça-feira, 17 de agosto de 2010

Conto da Clara...

Agosto – Mês de Revelações


Ela sempre acordava tarde, naquela manhã não havia sido diferente. Espreguiçou-se manhosamente na cama e olhou para o relógio: passavam das 10h30min.
Suspirou fundo imaginando o dia que teria assim que se levantasse. Lá fora, ela via pela janela, o sol brilhava e as árvores balançavam, ventava muito forte, o dia estava lindo, assim, ficava realmente muito difícil de sair da cama.
O quarto era o mesmo desde que ela se lembrava, sempre a mesma cama de solteiro, as paredes com algumas rachaduras, a cadeira cheia de roupas para guardar, os livros da escola espalhados pelo chão.
Olhou mais uma vez para o relógio: 10h42min.
Ainda sentia sono, havia ido dormir muito tarde, depois das 4 da manhã. Levantou o cobertor e imediatamente sentiu frio, mas ainda assim pôde sentir o cheiro que ele cobria, cheiro de seu próprio corpo, de sua pele suada florescendo em plena adolescência, cheiro da sua vagina, da sua umidade, cheiro que sua calcinha tentava cobrir em vão.
Aquela intimidade consigo mesma a atraía, ela gostava do cheiro que sua vagina tinha, quando ia ao banheiro costumava com frequência trazer a calcinha ao nariz para poder apreciar o cheiro preso na sua calcinha.
Adorava ver que a calcinha estava molhada, seja de muco ou menstruação, qualquer que fosse a umidade que ela trazia, já conseguia com facilidade satisfazer seu prazer secreto.
Aquela manhã de meados de agosto estava tentadoramente linda, ela, que nunca gostara do sol, agora o maravilhava pela janela, vendo seus raios atravessarem os galhos das árvores e brilharem no telhado da casinha do cachorro.
Colocou dois travesseiros embaixo da cabeça, puxou os cabelos para trás, e ao passar a mão perto do rosto, sentiu o cheiro que tinha em seus dedos.
Agora pensava como tinha conseguido dormir, quando se deitou às 2 horas da manhã podia jurar que não conseguiria, sua cabeça a estava deixando maluca, ou será que ela sempre foi e agora que as coisas estavam claras sua sanidade estaria se estabelecendo?
Trouxe os dedos ao nariz, inspirou todo o aroma que a familiarizava.
Margot tinha o mesmo cheiro que ela, isso a deixava encantada e não conseguia mais parar de cheirar seus dois dedos, que no dia anterior descobriram o hímem intacto de Margot.
Desde que fora convidada para fazer o trabalho de ciências ela sabia que acabariam não fazendo estudo ou trabalho algum, e, sabia também que se aceitasse o convite teria que ser naquela tarde.
Chegou até a comprar duas cartolinas, levou na mochila canetinhas e livros.
Quando chegou à casa de Margot estava com o coração em disparada, mas iria em frente, não desistiria.
Bateu palmas diante da casa, Margot saiu para abrir o portão. Ela não pôde disfarçar, Margot tinha as coxas mais grossas do que aparentava na escola com aquele uniforme azul, estava usando um short curto e uma blusa branca.
Seu sorriso naquela tarde, não haveria outro igual.
Na mesinha de centro na sala, o livro e o penal sequer foram abertos, a conversa sem rumo tomou toda a atenção das duas, o olhar dela desviava do rosto de Margot, não queria olhá-la nos olhos, estava muito envergonhada, talvez por não saber o que fazer, tinha decidido em casa que tomaria a iniciativa, mas ali, perante as coxas e ao olhar de Margot, não lembrava nem do próprio nome.
Margot decidiu fazer tranças em seu cabelo. O simples toque da mão de Margot a fez estremecer, aquela mão suave e cheirosa de creme de macadâmia mexia em seus cabelos e em sua nuca, isso lhe causava uma sonolência e também um desejo de tirar a calcinha, como ela costumava fazer sozinha na cama antes de dormir.
Margot a estava dominando, estava com ela presa em suas mãos, era dona dela apenas por acariciar seus cabelos a tocar suavemente seu pescoço.
Sem perceber ela pegou na mão de Margot e a beijou, primeiro entre os dedos depois nas costas da mão. Esfregou a mão de Margot em seu rosto, sentiu a suavidade e a excitação que isso lhe causava, uniu suas mãos às dela, e em meio a sorrisos envergonhados elas se beijaram na boca.



Quando chegou em casa, a porta da cozinha estava trancada. Sua mãe veio logo gritando e esbravejando, mas ela sempre soube mentir muito bem, inventou uma desculpa perfeita para justificar um trabalho de ciências que demorou até as 23h45min.
Ficou ainda algum tempo no quarto de um lado para o outro antes de deitar-se. Não sabia o que pensar, o que fazer, como iria agir dali em diante.
Finalmente deitou-se para dormir. Sua mente ainda não havia voltado, estava ainda na cama de Margot.
Virou-se e revirou-se diversas vezes na cama, estava nervosa ou ansiosa?
Não sabia de mais nada, não tinha futuro, apenas a certeza de que Margot estaria na escola amanhã.
Adormeceu sorrindo.

6 comentários:

lesBia disse...

Bom me pediräo pra ser sincera entäo serei.
Achei o começo um pouco parado.Mais o desenvolver da historia foi legal.Para uma iniciante Clara você esta no caminho certo.Espero a continuaçäO ... Eim...

Bjinhus =)

nazinha disse...

parabens moça ... ninguem começa nada perfeitamente.. mas vc se expressou bem ... continue assim ;..

Anônimo disse...

No começo me deu um certo nojo desse papo de muco, menstruação... Sei lá! Mas, me identifiquei com o desenrolar da história, o fato de admirar a beleza de outra mulher como se não fosse "proíbido"*!

*Coloquei entre aspas, porque é assim que me sinto, presa aos padrões de uma sociedade medíocre, descabida e obsoleta, que me impede que me impede de sair por aí de mãos dadas com a mulher que amo! Só gostaria que esse (pré)conceito que as pessoas têm, a começar dentro de nossas próprias casas onde eu nem cogito a possibilidade de revelar a minha verdadeira orientação sexual, sob pena de ser escandalizada e ridicularizada pelos meus próprios pais! Por isso admiro muito vocês, por terem a coragem que eu não tenho para bater de frente com o resto do mundo em nome da felicidade!

Clara e Flávia, gostaria de pedir um conselho a vocês de como faço para me declarar à mulher que amo, contei um segredo no site segredorevelado.com.br, no mesmo site li um outro segredo de outra menina apaixonada pela amiga, onde vocês postaram um comentério indicando o blog de vocês, desde então, tornei-me leitora assídua e só agora tive a oportunidade de me manifestar e dizer o quanto sou fã de vocês!

Gostaria muito que me ajudasse, não sei mais o que faço, a situação é a seguinte:

"Sou comletamente apaixonada pela miha melhor amiga, que também é minha chefe. Temos tudo a ver uma com a outra, várias coisas em comum. Além disso, sou seu braço direito. E ela é linda, nota 10 no meu padrão de beleza, cabelos e olhos castanhos, boca maravilhosa, acho que formaríamos um lindo casal! Eu sempre soube que gostava de meninas, até já me apaixonei por outras, só que tive medo de me declarar pra todas. Dessa vez é mais intenso, não quero perdê-la, ela terminou com o namorado faz quase um ano e eu ainda não consegui me declarar. Uma vez a vi beijando um rapaz e meu coração quase rachou de tanta dor. Tenho um ciúme doentio e um desejo louco por ela. Ela tem um filho, me dou superbem com ele. Estamos sempre juntas, o que faz as pessoas suporem que somos namoradas e eu adoro quando falam isso, mas, ela diz a todos que não, sinto que aos pouquinhos ala vai aceitando e talvez até saiba e se faça de desavisada. Não sei como proceder, minha família é muito preconcituosa e não sabe da minha orientação sexual. Só sei que o que mais quero é ficar com ela, pois, ela é tudo que eu quero, eu a amo, a desejo e não suporto a idéia de ficar longe dela! Minha família não me preocupa, o que me preocupa é ter que ficar longe dela se ela não tiver o mesmo sentimento por mim! Queria resolver logo isso, pois, já nos conhecemos há quase 2 anos e meio e me encantei desde a primeira vez que a vi!" Foi isso que escrevi no site segredorevelado e preciso de uma resposta, um conselho, uma palavra que seja, não tenho a quem recorrer, mas, crei que se criaram esse blog, foi com o intuito de ajudar meninas homossexuais em situações difíceis! Grata!

Giselle Ribeiro disse...

Clara..que tudo seu conto.total apoio como escritora!!

Só senti falta de uma maior intensidade na descrição do momento que elas estavam juntas...que a parte mais interessante da história...rs.
Gosto da maneira como vc é detalhista ao descrever os fatos...
Tudo de bom querida,secesso.E se um dia lançar um livro me avise.serei uma das primeiras a obtê-lo.
Um bjo

Anônimo disse...

Gostei, vai enfrente clata

Anônimo disse...

AMEI 2171378607 LARYSSA MANUELA